Celíaco, mas saudável

Celíaco, mas saudável

Dia 16 de maio assinala-se o Dia Internacional do Celíaco. Durante todo o mês, um pouco por todo o mundo, decorrem campanhas de sensibilização para a doença celíaca (DC) e eventos comemorativos.

Uma alimentação sem glúten deve ser completa, equilibrada e variada, igualmente à da população em geral, sendo essencial para satisfazer todas as necessidades do organismo em nutrientes. A Dieta Isenta em Glúten (DIG) não inviabiliza, mas sim potencia o seguimento de uma alimentação saudável. Assim sendo, mesmo com um diagnóstico de DC não se esqueça de manter/adotar hábitos alimentares saudáveis!

Um dos erros alimentares mais frequentes é a diminuição do número de refeições que se faz por dia. Procure fazer entre 5 a 6 refeições distribuídas ao longo do dia, com intervalos de 2h30m a 3h, e não mais que 8h durante a noite, promovendo a manutenção da glicemia (níveis de açúcar no sangue) e o normal funcionamento do organismo. O planeamento diário, semanal ou mensal das refeições é de extrema importância para possa cumprir várias das recomendações para uma alimentação completa, variada e equilibrada.

Breakfast (pequeno‐almoço) | “breaking the fast” (quebrar o jejum)
Comece sempre o seu dia com o pequeno-almoço, que deve ser realizado na primeira meia hora do dia. Esta é uma refeição que deverá corresponder a cerca de 20% da energia total diária, oferecendo uma quantidade considerável de nutrientes, dificilmente recuperáveis ao longo do dia se for esquecida. O pequeno-almoço deve ser rico em hidratos de carbono de absorção lenta, em proteínas e com baixo teor de gorduras. Um pequeno-almoço completo compreende alimentos de 3 grupos da Roda dos Alimentos: fruta, leite e derivados e cereais e derivados sem glúten. Procure fazer a refeição em família promovendo hábitos alimentares saudáveis para toda a vida.

Lanchar, um hábito indispensável!
Um lanche deve ser «uma versão» diminuída do pequeno-almoço, no qual são integrados alimentos dos mesmos 3 setores da Roda dos Alimentos: uma peça de fruta fresca da época e/ou leite ou iogurte, se possível, acompanhado(s) de um alimento que contribua para a manutenção da glicemia (pão, bolacha ou cereais sem glúten). O tipo de lanche escolhido deve depender do número de horas que medeiam as refeições imediatamente anterior e posterior, bem como a composição destas. Dica – Os frutos oleaginosos (amêndoas, avelãs, nozes, etc.) são ótimas fontes de gorduras saudáveis, com efeito cardiovascular protetor. Utilize-os como pequenos snacks, ou adicione-os a outros alimentos, como o iogurte. Alguns vegetais como cenoura e pepino em palitos também são ótimas escolhas.

Sabemos hoje que o número adequado de refeições ao longo do dia e escolhas alimentares corretas estão relacionadas com uma melhor capacidade física e intelectual, maior capacidade de concentração e memória, menor fadiga, sonolência e irritabilidade, mais rendimento no desempenho escolar e/ou no trabalho, controlo do apetite e da saciedade e controlo de peso. Já planeou a sua primeira refeição e lanches sem glúten para amanhã?

Para mais informações sobre a DC consulte www.celiacos.org.pt ou acompanhe-nos no facebook. 

 

Daniela Afonso e Rita Jorge, Equipa de nutricionistas da APC – http://www.celiacos.org.pt/

Veja aqui o artigo do Programa de Alimentação Saudável do Jumbo sobre a Intolerância ao Glúten

Consulte aqui o Catálogo de produtos sem glúten, lactose e ovo de marca Auchan.

Delicie-se com esta sugestão de Dips de Abóbora com molho de iogurte e açafrão.