Óleo de coco: um peculiar óleo vegetal

Óleo de coco: um peculiar óleo vegetal

Sabia que…

O coqueiro é uma árvore muito importante no mundo, providenciando alimentos para milhões de pessoas (especialmente nas regiões tropicais), e pelos seus diversos usos é chamada a árvore da vida?

E que o óleo de coco também tem utilizações cutâneas – para o cabelo e pele como creme, ou como máscara e bálsamo de lábios?

E sabia ainda que este alimento é obtido através da polpa de coco fresco? O fruto é prensado a frio, sendo extraído o seu óleo a partir da polpa por processos físicos (deixando para trás as proteínas, hidratos de carbono e fibra), passando pelas etapas de trituração, prensagem e tripla filtração.

O coco é um fruto com diversas aplicações em áreas industriais e culinárias. O seu óleo (Cocos nucifera L.) é um produto usado tanto a nível alimentar como cutâneo. Durante parte do séc. XX, foi considerado o óleo vegetal mais importante do mundo, tendo recebido uma nova relevância atualmente.

Em termos nutricionais e comparando com outros óleos, tem uma quantidade semelhante de gordura. No entanto “dentro” da gordura, existem grandes diferenças nos tipos de ácidos gordos que compõe o óleo de coco e os restantes óleos. A controvérsia à volta deste óleo surge pelo facto da maioria da sua gordura ser saturada (80%), sendo que por este motivo a sua utilização deverá ser moderada.

valores_oleo_coco2
Sugestão de utilização:
Na cozinha use este produto em frituras, refogados, salteados, assados, molhos e na confeção de produtos de panificação e pastelaria. É uma alternativa às gorduras de origem animal (como a manteiga) uma vez que consegue alcançar elevadas temperaturas sem se degradar.
Prefira óleo de coco virgem dado que contém até sete vezes mais compostos fenólicos (pois o processo de refinação do óleo destrói parcialmente estes componentes).

Equipa de nutricionistas Jumbo.