Pipocas saudáveis? Sim!

Pipocas saudáveis? Sim!

Tipicamente vistas como uma guloseima, as pipocas podem na realidade ser um snack saudável. Ao ser sujeito a elevadas temperaturas para formar pipocas (que são basicamente milho torrado), o milho desenvolve componentes aromáticos que lhe atribuem um aroma único. Este aroma facilita a não adição de açúcar, sal ou manteiga nas pipocas. Experimente fazê-las em casa segundo estas dicas:

  • Substituir a utilização de manteiga, óleo (ou outra gordura) por água.
    Para tal, o ideal será fazê-las no micro-ondas ou numa máquina de fazer pipocas.
    Se optar pelo micro-ondas, coloque os grãos de milho numa taça com um pouco de água no fundo e cubra-a com película transparente. É fundamental fazer pequenos furos na película (pequenos para que os grãos não consigam sair) para deixar sair o vapor durante a confeção.
    Se optar pela máquina de fazer pipocas, basta escolher uma que dispense a utilização de gordura e seguir as instruções do fabricante.
  • Substituir o açúcar ou sal por outros ingredientes.
    Para atribuir um sabor mais próximo do doce às pipocas, opte pela canela ou vagem de baunilha (em que abre a vagem e adiciona os grânulos interiores); para um sabor mais próximo do salgado, opte por gengibre em pó ou raspas de gengibre fresco.

As pipocas são grãos de milho que, pelo aquecimento a que são sujeitas, se transformam num novo alimento crocante. Nutricionalmente, as suas características são semelhantes às de um grão de milho, destacando-se como uma fonte de hidratos de carbono complexos. Assim, para além de um snack saudável, se as pipocas forem acompanhadas de leite, iogurte ou queijo e uma peça de fruta, passam a um lanche equilibrado.

 

Como são feitas as pipocas?

À medida que a temperatura dentro do grão aumenta e ultrapassa o ponto de ebulição, a matriz de proteína e os grânulos de amido do milho amaciam e misturam-se com o vapor criado, o qual coloca uma elevada pressão no interior do grão. Quando a pressão interna do grão aumenta cerca de 7 vezes relativamente à pressão atmosférica (externa), a parede do grão cede e dá-se a típica “explosão” do grão.

As pipocas explodem a temperaturas próximas dos 190°C. Desta forma, não deverá ser utilizada como gordura a manteiga ou o óleo uma vez que são gorduras que não alcançam uma temperatura tão elevada sem formar compostos indesejáveis. Se optar por adicionar gordura na sua confeção, procure adicioná-la em pouca quantidade, preferindo o azeite ou o óleo de amendoim.

 

Vera Fernandes, Nutricionista do Programa de Alimentação Saudável do Jumbo.


Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 1581N.