Um regresso às aulas com bons hábitos alimentares

Um regresso às aulas com bons hábitos alimentares

O regresso às aulas marca a época em que os mais novos voltam às rotinas de aprendizagem e transmissão de conhecimento. Neste aspeto, a nutrição é um tema que não é diferente de qualquer outro. A criação de hábitos alimentares saudáveis na criança é algo que, tal como o conhecimento, irá perdurar para a vida.

O momento de preparação dos alimentos, snacks e refeições é uma oportunidade de colocar em prática conhecimentos alimentares e nutricionais, tornando aquilo que é abstrato (nutrição) em algo mais “real” para a criança.

Numa época de pós férias em que houve uma maior liberdade nas refeições e alimentos consumidos, pode tornar-se mais “fácil” para os pais permitir à criança praticar uma alimentação pouco saudável. Regressar a hábitos alimentares salutares é portanto de elevada importância. Aqui ficam algumas estratégias:

  • Evitar a restrição alimentar – restringir alimentos existentes em casa pode tornar-se contraproducente e levar ao consumo excessivo do alimento restringido e a alterações comportamentais como birras e a esconder o alimento. O ideal será não ter em casa os alimentos que não pretende que a criança consuma/leve para a escola.
  • Focar nos alimentos saudáveis – com o intuito de facilitar o seu consumo e dificultar o consumo dos pouco saudáveis. Em idade escolar é importante promover a independência da criança e permitir que tenha opções diárias de escolhas saudáveis, motivando-as. Deverão estar disponíveis em casa e com acesso facilitado inúmeras opções saudáveis e que preencham o lugar de outros alimentos. No caso dos lanches/snacks é importante ter alimentos saudáveis em doses individuais ou previamente preparados, prontos para levar. Algumas ideias: fruta cortada em gomos numa caixa; frutos oleaginosos sem casca, também numa caixa pequena ou embrulhados em papel de alumínio numa quantidade que perfaça 20g (ex.: 4 a 5 nozes); cenouras baby; fruta desidratada; sandes já acondicionadas prontas a levar e que sejam variadas; pacotes individuais de bolachas tipo Maria; sumos 100% e leite meio-gordo em pacotes de 200ml.
  • Promover o gosto por novos alimentos – com persistência e celebrando as pequenas vitórias. Sempre que a criança consome um pouco do alimento novo deve ser elogiada. Regra geral, é necessário experimentá-lo 8 a 15 vezes até haver o seu consumo de bom grado. Pode ser oferecido em diferentes formatos, preparações e confeções.
  • Acondicionar os lanches escolares segundo a escolha da criança – os pares são importantes e, portanto, a imagem conta. Para promover o consumo de alimentos mais saudáveis poderá ser importante envolver os alimentos em caixas, frascos, lancheiras escolhidos pelas crianças para que se sintam felizes e confortáveis a consumir o seu lanche saudável, mesmo com conteúdo diferente do dos seus colegas. Os recipientes podem ter imagens semelhantes aos alimentos consumidos pelos seus amigos, tendo por exemplo, os mesmos heróis, mantendo-se assim a identificação com os seus pares.

Vera Fernandes, Nutricionista do Programa de Alimentação Saudável do Jumbo.


Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 1581N.