Bimi: o irmão mais novo do brócolo

AdobeStock_122235620_299

O bimi, também conhecido por Brocolini ou brócolo baby é originário do Japão e é um hortícola híbrido resultante do cruzamento entre o brócolo (Brassica oleracea, Italica group) e a couve-chinesa, kailan (Brassica oleracea, Alboglabra group).

O bimi é muito semelhante aos brócolos e pode ser comparado com estes por também pertencer ao género Brassica.

A família Brassicáceas (ou, como eram antes designadas, crucíferas) agrupa cerca de 365 géneros e mais de 3200 espécies de plantas herbáceas (plantas de caule maleável). Dentro desta família inclui-se o género Brassica, do qual fazem parte hortícolas como o repolho, couve, nabo, planta da mostarda, planta colza, de onde é extraído o óleo de colza. Da espécie Brassica olerácea (espécie das couves), fazem parte hortícolas como os brócolos, couve-chinesa, couve-de-bruxelas, repolhos, couve-chinesa, couve-flor, couve-lombarda, entre outros.

Os brócolos têm sido particularmente estudados pelo seu teor em nutrientes e pelos seus compostos bioativos (compostos fenólicos, glicosinolatos e carotenóides), sendo que são características também encontradas no bimi. Nutricionalmente o bimi fornece vitamina A e C, zinco, folato, flavonóides e glucosinolatos.

Estudos epidemiológicos e ensaios clínicos têm demonstrado que o consumo de hortícolas crucíferos, de brócolos em particular, reduz o risco de doenças crónicas, como doenças cardiovasculares, inflamação, distúrbios relacionados com envelhecimento e certos tipos de cancro. Adicionalmente existe também evidência epidemiológica que sugere que o consumo de vegetais do género Brassica reduz o risco de cancro do pulmão, estômago, cólon e rectal, pelo seu conteúdo em glusosinolatos.

Sabe-se que durante o processamento dos alimentos, como por exemplo na confeção, estes podem perder fitoquímicos e vitaminas. Tendo em consideração este aspeto, o bimi é uma boa alternativa a outros hortícolas que dificilmente poderão ser consumidos crus. Este hortícola é totalmente comestível, sendo que os seus talos são mais tenros e suculentos, e apresentam um sabor mais doce que os brócolos. O bimi deve conservar-se no frio, desde a sua colheita à mesa. Prefira utilizá-lo em saladas e para acompanhar os seus pratos em cru, de forma a aproveitar todos os seus nutrientes e compostos promotores de saúde.

Filipa Almeida Azevedo, Nutricionista Jumbo. 
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº1914N.

Prove esta deliciosa Massa Primaveril (com Bimi entre os seus ingredientes).