Chá e Café – Os senhores cafeína

AdobeStock_123561308_299

O chá e o café são as bebidas mais consumidas no mundo. As plantas que lhes dão origem estão cheias de fitoquímicos que ao longo de séculos aprendemos a gostar.

As folhas de chá e os grãos de café têm um constituinte em comum, a cafeína – um alcaloide amargo que produz efeitos significativos no nosso organismo. São no entanto plantas muito diferentes.

O grão do café é uma semente, que armazena proteína, hidratos de carbono e óleos, e o café resulta de uma exposição a um calor muito elevado, que altera o seu sabor e aroma. O chá resulta das folhas novas da planta Camellia Sinensis, ricas em enzimas, que são cuidadosamente apanhadas e preservadas por um calor reduzido e secagem.

Estas duas plantas têm em comum o seu teor de cafeína, que é o estimulante mais consumido no mundo, e que existe em vários produtos alimentares (grãos de cacau, noz de cola, guaraná, folhas de mate, bebidas desportivas, suplementos alimentares). Acima de tudo a cafeína estimula o sistema nervoso central, reduzindo o cansaço e fadiga, e melhorando o tempo de reação por potenciar o estado de alerta e a atenção prolongada. Tem também efeitos nos músculos, elevando a produção de energia e aumentando a sua capacidade de trabalho. Pode potenciar o tratamento de enxaquecas ao mesmo tempo que mantém a toma de analgésicos.

Alguns estudos também demonstram que a cafeína é possivelmente eficaz na melhoria dos sintomas da asma, redução do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 e aumento da performance do atleta. O consumo regular de cafeína foi ainda associado à prevenção do declínio cognitivo e redução do risco de desenvolvimento de acidentes vasculares cerebrais, Parkinson e Alzheimer. No entanto, em doses elevadas e em indivíduos mais sensíveis pode ter efeitos indesejáveis, como ansiedade, agitação e insónias.

A cafeína atinge a corrente sanguínea passados 30 a 45 minutos do seu consumo. Os seus efeitos são mais notórios em quem não a consome normalmente. Em consumidores regulares provoca sintomas desagradáveis quando não é tomada, no entanto estes sintomas desaparecem ao final de três dias de abstenção.

A teofilina (semelhante à cafeína) é encontrada no chá e pode ser mais potente que a cafeína, embora se encontre em quantidades mínimas no chá. Apesar dos grãos de café terem 1 a 2% de cafeína e o chá 2 a 3%, uma chávena de café tem mais cafeína que uma de chá pois a sua extração é feita com uma maior quantidade (8 a 10 gramas vs. 2 a 5 gramas para o chá). O teor médio de cafeína por chávena de café tostado moído é cerca de 62 a 88mg (consoante o tamanho do café), de café instantâneo é 60 mg, de café descafeinado é 3 mg. O chá em folhas ou saco apresenta 30 mg, o chá instantâneo 20 mg.

O café e chá são hoje reconhecidos como fontes importantes de compostos antioxidantes. Estas duas bebidas podem ser consumidas diariamente como parte de uma alimentação saudável, tirando todo o proveito dos seus benefícios para o organismo.

Joana Pardal, Nutricionista do Jumbo. 
Ordem dos Nutricionistas nº1636N.