Iodo: a sua importância e fontes alimentares

adobestock_125044448-tbn

Sabia que…

A concentração de iodo nos alimentos depende de inúmeros factores, tais como: teor de iodo na água e nos solos, utilização de desinfetantes iodados pela indústria alimentar e pelo uso na agricultura de fertilizantes ricos neste mineral?

O iodo é um mineral essencial à vida. Não é produzido pelo nosso organismo, pelo que uma alimentação equilibrada e com alimentos ricos neste mineral é fundamental para o bom funcionamento do organismo e, em particular, para o correto funcionamento da glândula tiróide. As hormonas da tiróide estão envolvidas em múltiplas funções reguladoras do organismo e a sua carência poderá comprometer diversas funções.

Os alimentos que contêm mais iodo na sua composição são, entre outros, as algas, o peixe (em especial o bacalhau fresco) e os crustáceos (ex.: camarão). Os vegetais, a carne, o leite e derivados, têm fontes alimentares variáveis. O sal enriquecido com iodo e denominado por sal iodado, é um alimento fortificado neste mineral e é uma boa escolha, mas não exagere na sua utilização, utilize-o sempre em moderação.

Optar pelo sal iodado e comer mais peixe e crustáceos é a melhor solução para combater as carências de iodo.

As necessidades diárias de iodo variam ao longo do ciclo de vida, contudo é na gravidez e na infância, que as necessidades são maiores.

Patrícia Almeida Nunes, Nutricionista.
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 064N. Colaboração com Dietética e Nutrição da ESTeSL.
Autora do livro “Uma Especialista em Nutrição no Supermercado, Esfera dos Livros.