Iogurte para bebés, sim ou não?

AdobeStock_126764885_299

A diversificação alimentar é um tema que aflige várias mães e pais pois as recomendações podem diferir de pediatra para pediatra. A partir dos 6 meses pode-se incluir o iogurte na alimentação do bebé. A questão é – qual o iogurte que devo introduzir? Qual o melhor? Isto porque existem iogurtes específicos para crianças e os iogurtes comuns.

A comunidade científica concorda que o leite de vaca não modificado é um alimento inadequado para crianças com idade inferior a 12 meses. Por um lado, porque o seu sistema digestivo ainda é imaturo e não está preparado para digerir e absorver as suas proteínas e, por outro, porque vai ter um baixo teor de ferro e ácido fólico e um elevado teor de sódio (sal) e potássio.

O iogurte, embora se trate de um alimento obtido a partir do leite de vaca, é bem tolerado essencialmente por 2 motivos:

  1. pela diminuição do conteúdo em lactose (processo que ocorre naturalmente na fermentação que origina o iogurte) e
  2. pela hidrólise parcial das suas proteínas, que significa que as suas proteínas estão mais pequenas e são assim mais facilmente digeríveis.

Iogurtes para bebés vs iogurte natural comum

Os iogurtes formulados para bebés possuem na sua grande maioria açúcar adicionado o que nesta fase de crescimento e desenvolvimento não é benéfico. O iogurte natural comum não açucarado não contém açúcares adicionados e é um alimento mais natural.

Comparando o perfil de vitaminas e minerais é possível constatar que o iogurte para bebés possui em média 8,5 vezes mais ácido fólico, 5,5 vezes mais ferro, o mesmo teor em zinco, 2,5 vezes mais de vitamina A, 1,4 vezes menos de cálcio e 1,8 vezes menos de potássio. Poderíamos considerar que o facto de ter menos teor de cálcio seria um ponto negativo. Contudo, as recomendações diárias de cálcio para bebés até 1 ano são inferiores relativamente aos adultos. Em suma, os iogurtes para bebé apresentam um teor de vitaminas e minerais mais adequados às suas necessidades. Têm como desvantagem a adição de açúcar.

A minha dica é que se inicie com um iogurte para bebé a partir dos 6 meses, natural, pois os que têm aroma ou pedaços são sinónimo de açúcares e produtos artificiais, mas fazendo uma análise cuidada do rótulo para evitar os que contém açúcar adicionado. A partir dos 9 meses pode experimentar introduzir o iogurte natural comum. A oferta alimentar a partir deste mês é maior e por isso a quantidade inferior de algumas vitaminas e minerais do iogurte comum será colmatada com a oferta de legumes e fruta durante o dia.

Como oferecer o iogurte:
Pode ser dado de forma simples (melhor opção para o bebé se familiarizar com os sabores), com farinhas de cereais como a aveia, centeio, espelta, milho ou com a junção de farinhas e um pouco de fruta.

Sónia Macedo, Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 0748N.
dicasdeumadietista.pt