Natal sem Glúten, Lactose ou Ovo

adobestock_116315045-tbn

A época natalícia é uma altura em que a família se reúne e há uma maior disponibilidade de alimentos, refeições mais típicas e, geralmente, sobremesas em abundância. A evicção alimentar, que consiste em excluir da dieta um determinado alimento ou ingrediente, é um processo complexo e difícil no caso de alergias ou intolerância. Assim, é necessária a colaboração por parte de todos os que tenham intervenção direta na alimentação de quem tem de o fazer. Além de atenção redobrada a contaminações cruzadas, sugerem-se de seguida algumas alterações alimentares para que seja possível desfrutar evitando alimentos potencialmente perigosos para quem partilhe consigo esta quadra natalícia.

Ovo – o ovo pode ser substituído em diversas receitas de muffins, bolos ou pães por banana esmagada, polpa de fruta, bebida de soja, sementes de linhaça ou chia com água ou puré de tofu. Se preferir procure receitas de doces que naturalmente não necessitem do ovo e das suas propriedades para ser confecionadas.

Glúten – em alternativa ao glúten poderá ser utilizada a farinha de coco, milho, aveia sem glúten, fécula de batata ou farinha de tapioca.

Lactose – como substitutos dos produtos sem lactose podem ser utilizados leite sem lactose, bebidas vegetais como bebida de arroz, de amêndoa, bebida de soja; as natas normais podem ser substituídas por natas sem lactose, de soja, iogurte de soja, iogurte sem lactose.

 

Mas afinal o que são alergias e intolerâncias alimentares? As alergias alimentares são reações alimentares adversas mediadas pelo sistema imunitário, por diversos anticorpos. Ocorrem com a exposição a um determinado alimento e deixam de se manifestar após a exclusão do mesmo. Os alergénios alimentares mais comuns são o leite de vaca, ovos, amendoins, nozes, soja e marisco.

Por outro lado, as intolerâncias alimentares são reações adversas aos alimentos que não envolvem o sistema imunitário e podem resultar por exemplo, de défices de enzimas, como o caso da intolerância à lactose causada pelo défice da enzima lactase. Os sintomas mais comuns caracterizam-se por dores abdominais, flatulência, diarreia, urticária, insuficiência respiratória, cefaleias e fadiga. Manifestam-se após algumas horas e podem durar vários dias.

As alergias alimentares são mais frequentes em crianças. Pensa-se que pelo menos 5 em cada 100 crianças sofram de alergia alimentar, e que nos adultos a prevalência seja mais baixa, entre 3 a 4%. Contudo, a intolerância alimentar a produtos como leite, desenvolve-se com a idade, sendo no entanto raro para outros alimentos, como o caso do amendoim.

Desfrute de um Natal Feliz, com alimentos saudáveis e sem perigos alimentares!

Ana Rita Lopes, Nutricionista. Membro da Ordem dos Nutricionistas nº0467N.
Hospital Lusíadas Lisboa. Colaboração com Dietética e Nutrição da ESTeSL.