A Saudável Missão da Equipa de Nutricionistas Jumbo

O Programa Alimentação Saudável do Jumbo é  uma iniciativa pedagógica da marca, que visa promover estilos de vida mais saudáveis, sobretudo a nível alimentar, incrementando a capacidade de escolha informada dos Clientes. Constituído por uma equipa de 6 nutricionistas o seu sucesso tem-se revelado um exemplo para outras marcas, ao nível da responsabilidade corporativa e do compromisso com os consumidores. Nesta entrevista procurámos saber um pouco mais sobre as protagonistas que todos os dias levam a cabo esta missão. 

Vera Fernandes
Coordenadora do Programa Alimentação Saudável do Jumbo

Nutricionista do Jumbo desde 2011, Vera Fernandes é co-autora do livro “Doença Celíaca da Clínica à Dietética”. É a coordenadora do Programa Alimentação Saudável do Jumbo e contribui ativamente para a sua definição estratégica e respetiva implementação ao nível dos conteúdos digitais e também das iniciativas em loja.  

pas_nutri_464_VeraFernandes_3

Qual a missão da equipa de nutricionistas do Jumbo?
A nossa missão é essencialmente sensibilizar, promover e facilitar escolhas alimentares mais salutares adequadas aos nossos clientes. Tentamos desenvolver uma educação alimentar concreta no momento da compra alimentar, replicável no dia-a-dia do consumidor, algo dificilmente colmatado por um nutricionista a exercer em outras áreas de atividade, pois num hipermercado temos o privilégio de estabelecer contacto com o consumidor num momento muito importante do seu trajeto de escolha alimentar – o momento da seleção e aquisição.

Tudo isto é conseguido com aconselhamento em loja, personalizado, mas também através da criação de mensagens e conteúdos que verdadeiramente informem e envolvam os consumidores naquilo que é uma alimentação mais saudável e simultaneamente prática e executável no dia-a-dia, desmistificando conceitos menos corretos e descodificando a linguagem técnica (aumentando assim os níveis de literacia alimentar), bem como através da implementação de iniciativas nas nossas lojas e nas comunidades envolventes, junto das mais variadas faixas etárias.

Pretendemos fornecer soluções para todos e cada cliente que nos contacta. Muitas vezes isso passa por apresentar soluções práticas e económicas quanto a uma alimentação saudável, bem como orientações que pretendem diminuir o stress por vezes associado ao planeamento das refeições.

Para executar esta missão, a informação que veiculamos encontra-se enquadrada nos requerimentos legais dos regulamentos europeus referentes a legislação alimentar.

O Jumbo dá apoio ao consumidor nas suas escolhas saudáveis na loja?
Sem dúvida. O Jumbo tem apostado no apoio a escolhas mais informadas e por isso, neste momento, contamos com uma equipa de nutricionistas em crescendo, com colegas nas lojas de Almada, Alfragide, Cascais, Famalicão e Guimarães.

Iniciativas
Temos iniciativas mais pontuais e específicas como acompanhamento nutricional nas compras, e que vamos divulgando quer neste site, quer na loja em que a iniciativa decorre. Iniciativas de avaliação nutricional com consequente aconselhamento nutricional personalizado em que podemos contar com o apoio inclusive de Instituições do Ensino Superior com as respetivas licenciaturas em Ciências da Nutrição, Dietética ou Dietética e Nutrição. Workshops sobre uma alimentação mais saudável dedicada a temáticas específicas, seja nas nossas lojas ou na comunidade envolvente. Participação em eventos da comunidade, promotores de estilos de vida mais saudáveis – sendo um forte exemplo disso, a parceria que desenvolvemos com a Câmara Municipal de Gondomar, que é este ano de 2017 a Cidade Europeia do Desporto – tendo já sido expressa esta parceria em inúmeras iniciativas em toda a cidade mas também na nossa loja Jumbo do Parque Nascente.  Fazemos também avaliações de saúde como as que estamos a promover durante todo o mês de Maio – Maio Mês do Coração – com as nossas equipas dos espaços Saúde e Bem-Estar mas também contando, mais uma vez com os nossos parceiros do Ensino Superior, como licenciaturas em Farmácia, Enfermagem, Medicina.  Temos ainda ações de sensibilização sobre temáticas específicas, nomeadamente marcando sempre de forma concreta o Dia Mundial da Alimentação, bem como iniciativas de educação alimentar junto do público infanto-juvenil através do nosso Clube Rik&Rok.

De forma mais permanente, dinamizamos degustações de produtos saudáveis por forma a dar a conhecer as opções que temos e que vão surgindo “nas nossas prateleiras”. Ainda, showcookings com parceiros habituais como é o caso dos showcookings semanais de alimentação vegetariana que temos nos Jumbo da Maia e de Gondomar (Parque Nascente) com a Chef Alexandra Mendes Ribeiro.

Todos os meses, durante 4 dias correspondentes ao “Fim de Semana Saudável” (3º fim-de-semana de cada mês – a começar na 5ª feira) temos variadas iniciativas a decorrer, nas nossas lojas, promotoras de estilos de vida mais saudáveis nas nossas lojas.

Conteúdos
Para além disto, desenvolvemos e divulgamos conteúdos disponibilizados na loja, junto dos produtos alimentares, nos nossos folhetos comerciais mas também fortemente, em formato digital – com uma atualização semanal de conteúdos neste site que pretende informar, motivar e inspirar para escolhas mais saudáveis no dia a dia. Fazêmo-lo de uma forma mais prática, nas receitas que elaboramos (equipa de nutricionistas) com os nossos parceiros, e que integram o compromisso que mantemos com a Direção-Geral de Saúde de combater o consumo excessivo de sal, já que todas as receitas têm a especificação da quantidade de sal a adicionar por forma a dar a noção da quantificação deste ingrediente e respetiva quantidade recomendada (excluindo-se a menção “a gosto” ou “q.b.”); mas também através de todos os conteúdos mais informativos sobre as mais diferentes temáticas que divulgamos e até as ilustrações sobre diferentes formatos de atividade física que promovemos.

Como caracteriza a situação atual dos hábitos alimentares dos portugueses?
Este ano tivemos aquilo que diria ser um significativo contributo a nível de saúde pública que foi a publicação dos resultados de um estudo riquíssimo de informação e de grande qualidade científica que passou a colocar o nosso país no mapa europeu dos países com estudos de robustez científica que permitem conhecer o consumo e hábitos alimentares da população – o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física (IAN-AF). É muito importante ter este conhecimento para se poderem desenvolver políticas nutricionais que melhorem a saúde da população.

Neste inquérito, destaca-se que a maioria dos portugueses não cumpre com as recomendações da Roda dos Alimentos, sendo os principais erros identificados o não consumo de hortofrutícolas e cereais em quantidade suficiente e o excesso de carne, laticínios e sal, para além do descurar da dieta mediterrânea (infelizmente… sobretudo tendo em conta que somos geográfica e culturalmente privilegiados no que toca a seguir esta alimentação).

Ainda, conseguimos perceber que quase 6 em cada 10 portugueses têm excesso de peso (pré-obesidade e obesidade); uma estatística alarmante.

As pessoas compram cada vez mais alimentos saudáveis ou continua a ser uma minoria?
Se por um lado temos os resultados acima descritos, por outro, tem-se verificado uma crescente preocupação do consumidor em adquirir produtos mais saudáveis – embora este seja um conceito difícil de definir; 2 exemplos:

  • Na globalidade, se pensarmos nos iogurtes, sabe-se que há um crescimento na aquisição de iogurtes naturais e magros;
  • É reconhecido o aumento do consumo de alimentos funcionais (numa lógica de prevenir problemas de saúde futuros), que anteriormente teriam pouca expressão, como é o caso das sementes.

Estes são apenas 2 exemplos. Assim, eu diria que se temos um panorama global alarmante, conforme os dados obtidos através do IAN-AF, temos simultaneamente segmentos de consumidores mais preocupados e que fazem opções mais saudáveis do que faziam anteriormente, denotando-se isso também quando comunicam connosco.

Se tivesse de escolher uma receita do site do Programa de Alimentação Saudável Jumbo qual seria? Porquê?
Não é fácil. Mas tenho de escolher o Estufado de Frutos de Outono

A castanha é um produto “muito nosso” (português), sazonal e de incrível sabor. Tem uma grande riqueza nutricional, que nesta receita serve como uma fonte de hidratos de carbono, com alto teor em fibra e vitamina C (mesmo depois de confecionada!), sendo ainda importante  fonte de vitamina B1 e B6, bem como de ácido fólico e do mineral potássio (importante para a regulação da pressão arterial). Apesar dos seus benefícios devem ser consumidas com alguma moderação (1 porção de 10 castanhas contém 179 kcal), pelo que a conjunção com a panóplia de legumes que compõem esta receita, é uma excelente forma de conseguir esse equilíbrio.

Esta receita constitui um acompanhamento de excelência para uma refeição principal acompanhada, por exemplo, com uma pequena porção de peixe assado no forno ou, para quem não aprecia a conjugação de castanha com peixe, com um bife de frango grelhado ou lombo de porco estufado.

O Jumbo tem uma missão que se apoia na ideia de melhoria da qualidade de vida dos consumidores a vários níveis, mas sobretudo com base numa alimentação mais saudável. Quais são as expectativas de evolução desta missão?
Irá, seguramente, continuar a progredir seja no investimento nos materiais informativos produzidos, na variedade de produtos mais saudáveis disponibilizados, no leque de parcerias concretizadas e nos compromissos que iremos assumir junto dos nossos clientes.
Contamos contribuir cada vez mais para uma sociedade mais equilibrada, nomeadamente a nível dos alimentos que disponibilizamos – tanto a nível nutricional como a nível de sustentabilidade ambiental. Pretendemos contribuir para a capacitação dos consumidores em selecionar produtos alimentares mais saudáveis, contando inclusive com contributos de especialistas independentes para esse fim; Continuaremos a sublinhar que uma alimentação saudável é uma alimentação sobretudo equilibrada e não necessariamente restrita e/ou cara. Quanto a esta última questão prosseguiremos com o nosso compromisso de preços sempre baixos.

O Jumbo pretende contribuir para melhorar a vida dos seus clientes naquilo que à saúde concerne, afirmando-se diariamente como militante do bom, do são e do local.

.

pas_nutri_464_FilipaAzevedo

Filipa Azevedo
Responsável por conteúdos do Programa Alimentação Saudável do Jumbo

Antes de integrar a equipa de Nutricionistas do PAS em 2015, a Filipa Azevedo trabalhou na área de consultoria, tendo integrado a equipa que desenvolveu a 1.ª edição do “Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal”(ONAP).

Qual é o maior erro alimentar que os Portugueses cometem?
Eu destacaria o baixo consumo de hortícolas, de facto para uma grande parte da população os hortícolas ainda não fazem parte da sua dieta na proporção recomendada.
Segundo dados obtidos no  Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física 52.7% dos indivíduos entrevistados não cumpre a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o consumo de fruta e hortícolas.

O recomendado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e OMS para a prevenção de doenças crónicas, como doenças cardiovasculares, cancro, diabetes, obesidade, assim como para a prevenção de deficiências em micronutrientes, é o consumo mínimo de 400g de fruta e hortícolas por diaAs recomendações da Nova Roda dos Alimentos preconizam o consumo mínimo de 420g de hortícolas cozinhados ou 540g de hortícolas em cru por dia.
A porção não é difícil de atingir consumindo sempre acompanhamento de hortícolas às refeições principais na forma de salada ou legumes cozidos e a nossa cultura de consumo de sopa de hortícolas a iniciar as refeições é também uma forma de atingirmos o aporte necessário.
Penso que estamos a caminhar para uma maior consciencialização da população e a prova disso são novas tendências de alimentação a que temos assistido como o flexitarianismo e o crescimento do interesse por uma alimentação vegetariana. O grande passo que foi dado na disponibilização obrigatória de refeições vegetarianas em todas as cantinas públicas e refeitórios do estado, penso que irá contribuir também para a inclusão de mais hortícolas na dieta dos Portugueses.

O Jumbo tem uma oferta alargada de produtos avulso. Quais são as vantagens deste tipo de compra para o consumidor?
Para o consumidor penso que a vantagem mais imediata é poder adquirir na quantidade que realmente necessita o produto que vem procurar. Esta é uma vantagem do ponto de vista económico, por permitir a compra em menores quantidades e também do ponto de vista da redução do desperdício alimentar. Desta forma também estamos a tentar despertar o consumidor para os temas da sustentabilidade.
Os produtos disponibilizados na secção do avulso têm tido uma grande procura por parte dos clientes e tem sido feito um trabalho no sentido de disponibilizar novos produtos tendência e dar ao nosso cliente a oportunidade de os conhecer e de os adquirir a preços competitivos!  

Diga-nos três vegetais saudáveis que os consumidores possam ainda não conhecer e estejam disponíveis no mercado?
Penso que três vegetais que possam não ser muito conhecidos e são bastante interessantes nutricionalmente são o Bimi, a Couve romanesca e a salicórnia. Os três têm uma característica em comum, podem (e devem) ser consumidos crus! E desta forma conseguimos obter uma maior riqueza nutricional do alimento, visto que durante a confeção dos hortícolas existem perdas nutricionais, principalmente de vitaminas hidrossolúveis. O bimi e a couve romanesca fazem parte da família botânica Brassica, sendo que os hortícolas desta família caracterizam-se por possuir vitaminas antioxidantes (como a vitamina C), carotenoides e polifenóis, estando o seu consumo relacionado com a prevenção de várias doenças crónicas.

O bimi é originário de um cruzamento entre o brócolo e a couve-chinesa, sendo um hortícola tenro e totalmente comestível, de sabor mais doce que os brócolos.

A couve-romanesca é uma variedade da espécie a que pertence a couve-flor, caracterizando-se por ter uma forma geométrica de multiplicação de flores simétricas em forma espiral. Tem uma consistência mais tenra que a couve-flor e se não for consumida crua deverá ser apenas levemente cozida.

A salicórnia durante muito tempo foi considerada uma erva daninha que cresce em ambientes salinos, no entanto tem sido estudada e é utilizada atualmente como alternativa ao sal para temperar pratos. Com a utilização da salicórnia em detrimento do sal conseguimos facilmente diminuir o nosso aporte de sódio.

Se tivesse de escolher uma receita do site do Programa de Alimentação Saudável Jumbo qual seria? Porquê?
É difícil escolher só uma receita do site porque tenho muitas preferidas! Mas vou escolher a receita Bowl de Hibisco e Iogurte. Escolho esta receita pois penso que é uma ótima opção para snack da manhã ou tarde e muitas vezes é nestes momentos dos dias onde fazemos mais “asneiras” alimentares, são refeições menos planeadas e em horários mais flexíveis e que podem dar “azos” a deslizes. Atualmente o meu meio da manhã é uma versão adaptada desta receita, variando a peça de fruta e com sementes de chia.

Joana Costa
Jumbo de Alfragide

A Joana Costa é Nutricionista e Técnica de Qualidade e Segurança Alimentar. No Jumbo, entre outras funções, presta aconselhamento Alimentar durante a compra ao Cliente. É também responsável pela organização e implementação do Fim de Semana Saudável do Jumbo em Alfragide outras iniciativas ligadas ao Programa de Alimentação Saudável, quer para clientes e comunidade envolvente da zona de Alfragide, quer para os colaboradores Jumbo desta loja, tendo anteriormente desenvolvido a sua atuação no Jumbo de Almada.

pas_nutri_464_JoanaCosta

Existem muitos mitos alimentares. Dos mitos alimentares que vamos ouvindo qual é o mais comum que subsiste na cabeça dos consumidores?
“A Dieta sem glúten é mais saudável”. Em indivíduos intolerantes ao glúten, sem dúvida que sim. No entanto, indivíduos sem esta intolerância, devem consumir produtos com e sem glúten, de modo a promover uma ingestão equilibrada de todos os macro/micronutrientes. Por vezes os alimentos sem glúten, contêm na sua composição adição de açúcares e gorduras para conferir melhor sabor, sendo fundamental, sempre o acompanhamento de um especialista de nutrição – nutricionista ou dietista, de modo a promover uma ingestão nutricionalmente equilibrada e saudável.

Qual é a informação mais importante num rótulo e à qual devemos prestar mais atenção?
Devemos analisar a distribuição de nutrientes e não somente as kcal e, sempre que possível fazer a leitura por dose ou porção, pois deve ser a quantidade que mais se aproxima do consumo real. Assim, é importante escolher os produtos com mais baixo teor de açúcares (que podem aparecer na lista de ingredientes como: açúcar, xarope, -ose) e gorduras saturadas e, privilegiar os que têm na sua composição mais fibra. Ressalvo ainda a importância da leitura da lista de ingredientes, em que estes são descritos da maior para a menor quantidade, devendo escolher-se sempre que possível, os alimentos com menores listas. É também nesta lista que são destacados os alergénios (letras maiúsculas ou a negrito, maioritariamente), informação bastante relevante para alergias e intolerâncias.

Diga-nos o melhor truque para aproveitar/conservar as sobras de alimentos das refeições?
Antes de mais, devemos sempre planear as compras com a ajuda de uma lista, evitando comprar quantidades e variedades superiores às que necessitamos.

Quando confecionamos maior quantidade relativamente àquela que vamos consumir no momento, devemos de imediato colocar as sobras a temperaturas mais baixas. Devemos utilizar recipientes fechados, refrigerando ou congelando, devendo os alimentos em menos de 2 horas chegar a temperaturas inferiores a 5ºC, não comprometendo a segurança alimentar. Preferencialmente deve consumir as sobras refrigeradas num prazo de 48h, não se aplicando a produtos enlatados, como exemplo, o atum ou salsichas, que deve consumir no dia seguinte.

O arroz, massa ou batata podem ser reaproveitados para sopas ou saladas, por exemplo, tal como os hortícolas.
As frutas que se tornem moles podem ser reaproveitadas para acrescentar a sumos/batidos ou até aos iogurtes ou queijo batido, resultando num bom pequeno-almoço ou lanche.
No caso da carne e do peixe, pode reaproveitá-los na preparação de soufflés, empadões ou saladas.
Por fim, o pão, dará umas ótimas torradas no pequeno-almoço do dia seguinte.

O importante é realmente, colocar os alimentos a temperaturas de refrigeração sempre que sobrarem, evitando futuras desordens alimentares após o seu consumo.

Para quem está a tentar perder peso quais são os alimentos que deve evitar e os que deve incluir na sua dieta alimentar?
Em qualquer dieta, mas com mais ênfase numa dieta de perda de peso deve evitar-se o consumo de alimentos processados, caso por exemplo, das bolachas, refeições pré-confecionadas, biscoitos, refrigerantes ou néctares… São produtos que por norma contêm elevadas quantidades de açúcares e/ou gorduras e, demasiados conservantes, tornando as listas de ingredientes verdadeiros textos de leitura. Deve assim privilegiar a inclusão de fruta e legumes, às refeições principais ou, porque não, nos snacks ao longo do dia (palitos de cenoura a meio da manhã, por exemplo). De acordo com a roda dos alimentos, devemos consumir 3 a 5 porções de fruta e legumes diariamente, pois são ótimas fontes de fibra, conferindo saciedade e promovendo um bom trânsito intestinal e, vitaminas e minerais importantes para as funções vitais do nosso organismo.

Se tivesse de escolher uma receita do site do Programa de Alimentação Saudável Jumbo qual seria? Porquê?
Panquecas de Aveia e Amêndoa” para o Pequeno-Almoço. Após o jejum noturno é importante despertarmos o nosso organismo com uma refeição completa e nutritiva. As panquecas oferecem um bom equilíbrio de nutrientes, fornecendo proteína e também hidratos de carbono, fundamentais para uma boa manutenção da concentração e, do humor ao longo do dia. Além disso, é uma preparação que pode ser realizada no dia anterior, pelo que, não há como não tomar um pequeno-almoço variado e saboroso diariamente.

pas_nutri_464_JoanaPardal_2

Joana Pardal
Gestão e Inovação de Produtos Dietéticos

Com competências alargadas nas áreas do Marketing, Gestão de Categoria e Grande Distribuição, a Joana Pardal é a nutricionista responsável pela gestão e inovação na área dos produtos dietéticos, nomeadamente desporto, intolerâncias alimentares e produtos vegetarianos.

As intolerâncias e alergias alimentares são hoje cada vez mais comuns, nomeadamente ao glúten e à lactose. A que se devem estas intolerâncias?
Existe uma maior capacidade de diagnóstico destas intolerâncias. Também o aumento da informação disponível, quer para a comunidade científica quer para a população geral, contribuiu para o efeito “moda” deste tipo de dietas sem glúten e sem lactose.  O desenvolvimento da indústria alimentar possibilitou a existência de produtos com melhor o sabor, textura e composição nutricional, permitindo a quem inicia estes regimes sentir-se mais satisfeito, e mais facilmente manter a fidelidade à dieta.

Quais as práticas mais importantes para um desportista no que respeita a alimentação?
Um desportista necessita de conciliar duas vertentes – alimentação e hidratação.  Num desportista, o cuidado com a alimentação não só melhora o desempenho, como ajuda na recuperação pós treino. De forma a maximizar as reservas de energia para melhorar o rendimento e retardar o aparecimento da fadiga muscular, deve fazer-se uma refeição 1 a 2h antes do treino – deve ter proteína, hidratos de carbono complexos, (e pouco açúcar), pouca fibra e pouca gordura para não atrasar a digestão. Após o treino, o objetivo é promover a recuperação através da re-hidratação e reposição da energia gasta. Até 1h após o treino deve fazer-se uma refeição com proteína, hidratos de carbono simples e vitaminas e minerais.

A outra vertente essencial é a hidratação. Após o treino, a água é essencial para repor os fluídos. Quando o exercício é de alta intensidade ou durabilidade (> 30 minutos) é aconselhada a ingestão de água acompanhada de minerais como sódio, potássio e cálcio.

Quais são as melhores alternativas para quem pretende moderar o consumo de proteína animal?
A prática de um regime flexitariano permite a redução do consumo de proteína animal de uma forma mais flexível que o vegetarianismo. Para substituirmos a proteína animal podemos aumentar o consumo de leguminosas, produtos à base de soja (tofu, tempeh), seitan, cereais integrais, pseudocereais (como a quinoa, amaranto e trigo sarraceno), frutos secos e sementes. Outra alternativa é o uso do cânhamo, que é constituído por 50% de proteína de alto valor biológico (ou seja, é uma proteína que contém todos os aminoácidos essenciais tal como a carne), sendo fonte de ómega 3 e 6. Também a Spirulina e Clorela podem complementar a ingestão proteica por serem constituídos por  60% de proteína vegetal. São interessantes pois fornecem também vit. B12, ferro e selénio.

Se tivesse de escolher uma receita do site do Programa de Alimentação Saudável Jumbo qual seria? Porquê?
Escolheria sem dúvida as panquecas de aveia com amêndoa por serem frequentemente uma das receitas que faço ao fim de semana!

São super fácies de fazer, e ficam ótimas acompanhadas com qualquer fruta, compota (mas sem adição de açúcar!) ou manteiga de amendoim ou de amêndoa.

Renata Vicente
Jumbo de Cascais

A Renata Vicente é licenciada em Dietética e Nutrição pela Escola Superior da Tecnologia da Saúde de Lisboa. Enquanto membro do Programa de Alimentação Saudável, além de prestar aconselhamento alimentar ao cliente durante a compra, organiza e implementa iniciativas no âmbito dos Fins de Semana Saudáveis do Jumbo na loja de Cascais, entre outras ações ligadas ao Programa de Alimentação Saudável, quer para clientes e comunidade envolvente da zona de Cascais, quer para os colaboradores Jumbo desta loja.

pas_nutri_464_RenataVicente

Sabemos que as sementes e os frutos oleaginosos são dos alimentos mais ricos do ponto de vista nutricional. Se tivesse de eleger 2 produtos dessa categoria, quais seriam?
De facto os frutos oleaginosos e as sementes são alimentos riquíssimos do ponto de vista nutricional e todos eles têm características muito peculiares. Apesar de ter ficado muito indecisa entre a noz e a amêndoa, escolho a amêndoa, dado que apenas uma porção (30g) fornece uma quantidade “muito interessante” de proteína, fibra e minerais (especialmente potássio, magnésio, fósforo, cálcio e zinco), não esquecendo claro o seu alto teor em gordura monoinsaturada (gordura saudável).

Quanto às sementes escolho a chia, pelo facto de ter uma utilização muito versátil (desde pudins de chia à sua inclusão em compotas caseiras) e um enorme poder saciante pela quantidade de fibra que possui (mais de 3g por colher de sopa), não deixando de sublinhar a quantidade de ALA (ómega 3) e vitaminas/minerais presentes.

Que sugestões dá para convencer as crianças a consumir alimentos saudáveis?
Em primeiro lugar, os bons hábitos alimentares devem começar desde cedo em casa. A educação alimentar não passa apenas por dizer à criança o que deve ou não comer: a prática de uma alimentação saudável durante as refeições em família é fundamental. Não podemos esquecer que os pais são um modelo para os filhos!

Por outro lado, envolver a criança na hora das compras, preparação e  planeamento das refeições é também importante para a motivar e comprometer a alimentar-se bem. Podem ser feitos jogos e desafios, como por exemplo, fazer uma sandes mais colorida do que a dos colegas (adicionando vegetais) ou uma “espetada semáforo” onde terá de escolher as frutas/legumes com as cores corretas. Não esquecer que em todas as etapas é importante utilizar frases positivas acerca das propriedades dos alimentos como por exemplo “a fruta é rica em vitaminas e minerais que ajudam a manteres-te forte e saudável!”

Há outros truques como por exemplo misturar os vegetais em batidos/smoothies com fruta,  adicioná-los no arroz/massa e/ou em pratos que a criança goste muito.  

Qual a importâncias das características anti-inflamatórias dos alimentos, como a curcuma por exemplo?
Sabe-se que estados de inflamação crónica gerados por patologias como a obesidade, podem dar origem a doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, cancros, entre outras. Tendo em conta estas consequências negativas da inflamação,  torna-se importante ingerir alimentos como a curcuma com compostos anti-inflamatórios naturalmente presentes (flavonóides, compostos fenólicos, etc.) por forma a prevenir estas doenças ou até mesmo como complemento aos tratamentos médicos. Por outro lado, é também importante ingerir alimentos ricos em ómega 3 uma vez que este nutriente ajuda a combater a inflamação, muitas vezes agravada pela proporção desequilibrada do consumo entre ómega 3 e 6 (com maior aporte em ómega 6). Os antioxidantes (como a vitamina C, E e zinco) assumem também um papel importante no combate aos radicais livres gerados durante o processo inflamatório.

Se tivesse de escolher uma receita do site do Programa de Alimentação Saudável do Jumbo, qual seria? Porquê?
Escolhia o “batido verde com erva trigo”, porque adoro batidos e este para além de doce (devido aos açúcares naturalmente presentes na manga) inclui vegetais e é super fácil de fazer. Quando o incluo ao pequeno-almoço gosto de adicionar 2/3 colheres de sopa de aveia para ficar ainda mais completo. Outro ponto a favor é o facto de ser uma ótima maneira de promover o consumo de vegetais: esta receita já foi elaborada num showcooking na loja de Cascais e dada a provar a uma criança que de início não queria experimentar devido à aversão à cor verde (vulgarmente associada às hortícolas). Como resultado final, depois de provar o batido, esta criança que nunca queria comer sopa porque “é verde”, pediu à mãe para o fazer em casa!

pas_nutri_464_SaraRegina

Sara Martins
Jumbo de Famalicão e Jumbo de Guimarães

Licenciada em Dietética pela Escola Superior de Saúde de Vale do Ave, a Sara Martins organiza e implementa as iniciativas dos Fins de Semana Saudáveis do Jumbo nas lojas de Famalicão e Guimarães, bem como outras ligadas ao Programa de Alimentação Saudável, quer para clientes e comunidade envolvente destas lojas, quer para os colaboradores Jumbo das mesmas, prestando aconselhamento alimentar ao Cliente durante a compra.

Quais são as vantagens na elaboração de ementas semanais?
Planear a ementa semanal é um princípio para uma alimentação mais equilibrada e económica.
Para tal, basta organizar-se e escolher um dia da semana ou tempos “mortos” para fazer este planeamento.
A partir daqui também pode fazer a sua lista de compras para a semana. Tenha em atenção para antes de ir às compras confirmar em casa os alimentos que realmente precisa. Assim evita compras desnecessárias e, consequentemente, obtém uma maior poupança.

Ao realizar a ementa semanal tenha também em atenção os princípios de uma alimentação saudável, ou seja, alterne entre carne e peixe e inclua leguminosas; não se esqueça dos hortícolas como acompanhamento e intercale entre massa, arroz e batata.

Resumindo, planear a ementa semanal ajuda no seu orçamento familiar e traz benefícios para a sua alimentação.  Organize, planeie, poupe e seja saudável.

Se tivesse de resumir numa frase um conselho alimentar para os clientes do Jumbo, qual seria?
“A Chave para uma Nutrição Completa é a Diversidade!”
Um dos princípios base da nutrição consta na variedade de alimentos.
O nosso organismo tem necessidades nutricionais diárias, quer em macronutrientes (água, proteína, gordura e glícidos), como em micronutrientes (vitaminas, minerais e oligoelementos).  São estes nutrientes que permitem o correto funcionamento do nosso metabolismo.
Assim, ao realizar uma alimentação diversificada está a melhorar o aspeto das refeições, tornando-as mais apelativas através da variedade de cores, cheiros e sabores. Isto faz com que a sua dieta seja completa e equilibrada, evitando cair na monotonia e recorrer a alimentos menos saudáveis.

Qual é o seu hábito saudável (alimentar ou outro) do qual não abdica?
O pequeno-almoço! Sem dúvida que este é o hábito alimentar do qual eu não abdico.
Para o meu dia iniciar da melhor forma, antes de sair de casa, tenho que tomar um pequeno-almoço completo e variado.
Tento alternar para não cair na monotonia, mas no global tem que ter uma fonte de hidratos de carbono (pão escuro ou cereais com pouco açúcar); laticínios (iogurte ou queijo magro) e fruta.
Assim começo o dia com energia (de qualidade!), concentrada e preparada para os desafios do dia-a-dia.
Quando não tiver ideias para o seu pequeno-almoço vá à área de receitas do site da Alimentação Saudável do Jumbo inspirar-se.

Se tivesse de escolher uma receita do site do Programa de Alimentação Saudável Jumbo qual seria? Porquê?
Bowl (taça) de hibisco e iogurte”.
Esta é uma receita que eu adoro fazer para o pequeno-almoço porque é bastante prática. Posso começar a preparar à noite e de manhã é só acrescentar a granola.
Assim, consigo ter um pequeno-almoço saudável, completo e delicioso.